O QUE FAZ O CARDIOPEDIATRA?


Boa parte das pessoas ainda acredita que os problemas cardiovasculares só atingem adultos ou idosos, e não bebês ou crianças; mas esta realidade é muito mais ampla do que se pode imaginar. O coração é o motor do nosso corpo. É através do coração, mais propriamente das artérias, que o sangue é bombeado para todos os nossos órgãos. Logo ao nascimento podem ser detectados problemas cardíacos no bebê, e algumas vezes podem necessitar de suporte médico imediato.

E o que é a Cardiologia Pediátrica?



A Cardiologia Pediátrica é o ramo da medicina especializado em cuidar de quem nasce com problemas no coração, e de quem adquire uma doença cardíaca que surge na infância ou adolescência. Inclui ainda o acompanhamento de crianças em treinamento físico e o seguimento de crianças com doenças sistêmicas (obesidade, diabetes, hipertensão arterial e sedentarismo) e síndromes genéticas que causam alterações cardíacas, ou ainda aquelas que necessitam de algum medicamento com potencial risco de alteração do ritmo ou de função cardíaca, como anticonvulsivantes ou quimioterápicos.




Como se manifesta uma doença cardíaca na infância?



Quando um sintoma cardiovascular aparece, como dor no peito (dor torácica), cansaço aos exercícios ou nas mamadas, crises de cianose, cianose central (coloração arroxeada nos lábios e face), tonturas, desmaios, palpitações (sensação de batimentos cardíacos acelerados ou com ritmos irregulares) ou sopros cardíacos, a consulta com um profissional especializado em Cardiologia Pediátrica permite, através do exame físico específico, história clínica e familiar, amparado por exames complementares, definir ou excluir o diagnóstico de cardiopatia. Uma vez definido o diagnóstico de uma doença cardíaca o médico cardiopediatra esclarecerá dúvidas sobre a mesma, amparando os pais e familiares e direcionando à melhor terapêutica a ser aplicada.


Como são tratadas as doenças cardíacas na infância?



Uma vez que o paciente tenha nascido com, ou adquirido uma alteração cardíaca, deverá seguir com acompanhamento de um cardiologista pediátrico ao longo de toda a vida. As evoluções na Cardiologia Pediátrica, tanto no que diz respeito a métodos diagnósticos como a tratamentos, ou seja, os avanços na ecocardiografia, na cirurgia e em procedimentos hemodinâmicos (cateterismo), bem como crescentes conhecimentos dos cardiopediatras sobre detalhes das doenças têm permitido maiores chances de sobrevida e melhor qualidade de vida aos pacientes cardiopatas. Existem patologias que são somente acompanhadas clinicamente, outras que melhoram com medicamentos como diuréticos, anti-hipertensivos, anti-arrítmicos. E existem as que necessitam de cirurgia (de urgência ou eletiva) e ainda as resolvidas por cateterismo, evitando-se o procedimento cirúrgico.



Curta meu site e compartilhe com seus amigos nas redes sociais!
  •   
  •   
  •   
  •   
  •